TV Longevidade

O olhar atento e crítico da freira centenária que ajudou a fundar Holambra

A freira holandesa Anette Eijmans – a Irmã Anette, como é conhecida pela comunidade católica e pelos moradores de Holambra – tem sua vida ligada à história da cidade que ela e ajudou a fazer surgir.

Irmã Anette aportou no Brasil, em 1949, junto com outras irmãs da Ordem do Santo Sepulcro, para dar apoio religioso e pedagógico aos primeiros imigrantes holandeses que chegava ao interior paulista em busca de novos horizontes. A Holanda era, então, um país arrasado economicamente, dentro de uma Europa destruída pela Segunda Guerra Mundial.

Irmã Anette lembra que os primeiros imigrantes, assim como ela e suas companheiras e companheiros de fé, chegaram ao Brasil embalados pelo sonho de construir aqui um modelo cooperativista de vida e de produção econômica. “Era nisso que enxergávamos um futuro melhor não só para nós, mas para todos os trabalhadores, para toda a sociedade”, relata ela.

Foram esses imigrantes que deram origem à Vila e, depois, município de Holambra.

Em 1960, Irmã Anette mudou-se para Campinas, onde participou da criação do Centro Lumen Christi – um marco na história religiosa, comunitária e educacional da região. Ali, ela atuou fortemente ao lado de comunidades carentes do município.

Aos 103 anos de idade, completados em 2015, ela mantém um olhar bem informado e crítico sobre a realidade que a rodeia.

Há pouco mais de 10 anos, já passada dos 90, ela teve pela primeira vez acesso a computadores e conheceu o mundo da internet. Desde então, cada vez menos passou a ler jornais impressos. “Quase todos eles estão comprometidos com os interesses do Capital”, sentencia. Seu principal universo de informação passou a ser a rede, com seus sites e blogs independentes.

Para ela, a ação religiosa deve estar ancorada sempre no conhecimento da história e da política das sociedades.

Depois de um longo período em Campinas, Irmã Anette voltou para Holambra – há dez anos – e hoje vive no Centro Social, uma vila comunitária formada pelos antigos imigrantes holandeses e que hoje abriga alguns de seus descendentes e dá apoio aos idosos.

One Comment

  1. Pingback: Irmã Annette falece aos 103 anos | Jornal da Cidade

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*