Acesso à Informação / Agenda / Cinema / Cultura, Lazer e Eventos / Eventos

8ª Mostra Luta! leva arte e cultura para toda a cidade. Um olhar além da mídia comercial

O filme 'Defensorxs', do Coletivo Nigéria, de Fortaleza, abre a mostra no dia 20

O filme ‘Defensorxs’, do Coletivo Nigéria, de Fortaleza, abre a mostra no dia 20

A Mostra Luta! chega a sua oitava edição em Campinas e, entre os dias 2 e 11 de outubro, trará mostras de cinema, teatro, dança, lançamento de livros, vídeos, performances, intervenções urbanas, exposições de charges e fotografias, além de apresentações musicais e oficinas que ocorrerão em diferentes espaços culturais da cidade e também em praças públicas. O tema da 8ª Mostra Luta! é “Não Passarão!” e trata de maneira especial do crescimento da intolerância política no Brasil.

O Projeto Mostra Luta!, que tem apoio da ADunicamp, é realizado pelo Coletivo de Comunicadores Populares, organização que reúne diversos coletivos e associações voltados para a criação de canais de comunicação ligados a movimentos sociais e tem o objetivo de mostrar trabalhos artísticos, culturais e jornalísticos que não são veiculados na mídia convencional.

“No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de uma ínfima minoria que define todo o conteúdo que será transmitido para a enorme maioria da população. (…)Os donos da mídia reinam intocados no topo de seus canais de TV, emissoras de rádio, editoras de revistas e jornais, que não sofrem quase nenhuma fiscalização do conteúdo que transmitem”, argumenta o Coletivo de Comunicadores Populares em seu texto de apresentação.

De acordo com o Coletivo, a Mostra Luta surgiu com o objetivo de ajudar a romper “o enorme silêncio que nos é imposto”, pelos grandes grupos da mídia comercial.

A 8ª Mostra Luta! terá mais de cinquenta filmes e cerca de trinta trabalhos fotográficos, de vários lugares do Brasil.

Todas as apresentações são gratuitas.

 

Confira, abaixo, o manifesto sobre a 8ª Mostra Luta! divulgado pelo Coletivo de Comunicadores Populares Luta e, também, a programação completa da 8° Mostra Luta

Sobre a 8ª  Mostra Luta!
A Mostra Luta, que chega este ano à sua oitava edição, tem como objetivo
fomentar a circulação, exibição e o debate de filmes, trabalhos
fotográficos e outras manifestações culturais dentro das lutas sociais e
populares. Busca estimular a produção audiovisual independente, promover a
organização e o fortalecimento de redes, debates e encontros, além de se
constituir enquanto espaço de reivindicação social pelo direito à
comunicação popular, livre e anticapitalista.
Brasil, ano 2015- Vivemos tempos difíceis: direitos humanos e trabalhistas
estão ameaçados com leis que ampliam a tercerização e limitam outras
garantias como o seguro-desemprego, junto a um corte amplo de verbas
públicas. Grupos de extrema-direita se organizam e pedem a volta da
Ditadura Militar. Ao seu lado estão fundamentalistas religiosos e demais
fanáticos, dominando palanques, igrejas, ruas e meios de comunicação,
atacando sujeitos oprimidos como LGBTs, mulheres, religiões de matriz
africana entre outros credos. O latifúndio ganha força, passando por cima
do meio-ambiente, de indígenas, camponeses, quilombolas e outros povos.
A polícia bate recordes em assassinatos, exterminando a juventude negra e
periférica. No lugar de combater a violência com a garantia de direitos
sociais, investe-se em mais punitivismo e proibicionismo, ou seja: cadeia e
morte para manter uma fracassada guerra às drogas, redução da maioridade
penal para penalizar uma juventude que não chega a ter direito a nada,
apenas a permancer à margem de condições e a morrer sem alguma chance de
existir nesta sociedade opressora.
Por isso dizemos: “Não Passarão!”. Este é o tema escolhido para este ano,
que fará frente ombro a ombro com os movimentos sociais e para expandir
esse debate pelas nossas lutas de direito. A Mostra Luta! é um veículo, um
canal, para que os movimentos, dentro das lutas e temáticas citadas acima,
consigam utilizar mais um espaço de fortalecimento e discussão para
seguirmos juntos na construção de uma sociedade mais do jeito que
acreditamos.
Sobre a Mostra Luta!
Se de uma sala escura pode surgir uma nova imagem na tela, acreditamos que
a necessidade hoje é de nos organizarmos para barrarmos estes retrocessos e
produzir diferentes campos de resistência, luta e invenção de como construir
a vida e a sociedade. Propomos desde a primeira versão em 2008, nos colocar
como um espaço de visibilidade, amplificação e registro de acervo e memória
aos trabalhos feitos junto às lutas sociais. Além disso, buscamos
possibilitar debates e diferentes formas de diálogo e articulação sobre os
temas propostos, procurando também expandir a programação para outros
pontos da cidade, convidando outros atores a estarem conosco nessa construção.
Para fortalecermos estes laços, para conhecermos melhor as diferentes
realidades deste Brasil em luta e também irmos além de um bloqueio
midiático que tenta calar nossas vozes!
Sobre a Luta!
A Mostra Luta! já se consolidou como um importante espaço político cultural
de debate e atua na promoção, discussão e difusão das lutas sociais,
fazendo um contraponto ao conteúdo divulgado na mídia empresarial
hegemônica.
Sua origem está na vontade de criar canais de comunicação popular, na
perspectiva de produção e circulação entre os movimentos sociais, os
oprimidos e os explorados; da necessidade de lutar contra a criminalização
dos movimentos populares e do desejo de falar e quebrar o enorme silêncio
que nos é imposto pelos meios de produção midiático legitimados pelo poder
econômico ao qual nunca teremos acesso.
Vamos por nós mesmos construir uma nova sociedade e retomar o que é nosso
de direito!
Vamos à Luta!”

 

Confira a programação completa, abaixo; ou acesse: www.mostraluta.org

As atividades da 8ª Mostra Luta! poderão ser acompanhadas pela web em: www.socializandosaberes.net.br

 

8ª Mostra Luta!

 

02 de Outubro de 2015 – Abertura

19h às 22h

Atividade: Sessão Mostra Luta 1 – Exibição de Filme + Debate

Filme: “Defensorxs” – Realização: Coletivo Nigéria, Fortaleza/CE (2015), 90 min -.

Sinopse: No momento em que o Brasil vivencia medidas consideradas contrárias à consolidação dos direitos humanos, como a aprovação da redução da maioridade penal e a exclusão de conteúdos sobre gênero dos planos de educação, organizações como a Plataforma Dhesca Brasil, a Justiça Global, o Intervozes e a Nigéria lançam o filme DEFENSORXS, que traz à tona o difícil cotidiano de quem luta em defesa de direitos no país.

Debate: A luta de Direitos humanos e cidadania que está por todo o país.

Local: Praça Bento Quirino, S/N – Rua: Sacramento, s/n – Centro – Campinas/SP

03 de Outubro de 2015

16h às 19h

Atividade: Sessão Mostra Luta 2 – Exibição de Filmes + Debate

Filmes da Sessão: Ocupação Hotel Cambridge, Acampamento Dom Tomás Balduíno, As Sementes, Capão dos Angicos, Quem Matou Gilberto, Um Minuto de Silêncio.

Filme: “Quem matou Gilberto” – Realização: Na Favela, Rio de Janeiro/RJ (2014), 4 min

Sinopse: O filme se passa no complexo da Maré em um momento muito conturbado deintervenção militar. Todos que atuaram nesse filme são moradores da própria comunidade. Ficção de humor com uma forte pegada.

Filme: “Um minuto de silêncio – Realização: Ynaê Cortez, Mogi das Cruzes/SP (2014), 1min

Sinopse: Este vídeo é uma homenagem aos inocentes mortos pela polícia militar no Brasil, especialmente durante a implantação e manutenção das unidades da polícia pacificadora no Rio de Janeiro.

Filme: “Ocupação Hotel Cambridge” – Realização: Andrea Mendonça e Leonardo Ciacci, (2014), São Paulo/SP, 24 min

Sinopse: O antigo Hotel Cambridge, localizado na região central de São Paulo, fechou as portas em 2004. Após 8 anos de abandono e sem cumprir função social, o edifício foiocupado pelo MSTC – Movimento Sem Teto do Centro – em 23 de novembro de 2012 ehoje abriga 170 famílias. Esse filme mostra como a Ocupação é gerida e mantida por seus moradores, que organizam diversas iniciativas para garantir que as famílias dos trabalhadores tenham acesso a moradia digna, educação e cultura.

Filme: “As sementes” – Realização: Beto Novaes, Rio de Janeiro/RJ (2015), 30 min

Sinopse: Dirigido pelo cineasta e economista Beto Novaes, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o documentário é um registro das trajetórias de vida de mulheres agricultoras que participam ativamente dos movimentos agroecológicos no Brasil e que se tornaram referências e/ou lideranças sociais e políticas em seus territórios. As Sementes é inspirado no livro Mulheres e Agroecologia: transformando o campo, as florestas e as pessoas, que surgiu a partir da tese de doutorado de sua autora, Emma Silliprandi.

Filme: “Capão dos Angicos” – Realização: Rosemeire Salata, Araraquara/SP (2014), 6 min

Sinopse: Registro audiovisual do acampamento Capão dos Angicos, na cidade de Araraquara/SP. Realizado quando a ocupação contava com aproximadamente um mês de existência e possuía 400 barracos.

Filme: “Acampamento Dom Tomás Balduino – Realização: Comitê de Apoio e Solidariedade ao Acampamento Dom Tomás Balduino, Goiania/GO (2015), 25 min

Sinopse: No dia 31 de agosto de 2014, aproximadamente 3.000 famílias, ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), ocuparam uma das 90 fazendas que compõem o grande latifúndio representado pela Agropecuária Santa Mônica, de propriedade do Senador Eunicio Oliveira (PMDB), consolidando o Acampamento Dom Tomás Balduino.

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) Rua Regente Feijó, 859 – Centro – Campinas/SP

19h às 22h

Atividade: Estreia de Espetáculo de Palhaço + Exibição de Filmes + Lançamento de Livro.

Filme: “Boca de Rua – Vozes de uma Gente Invisível”, Realização: Marcelo Andrighetti.

Porto Alegre/RS (2010), 10 min

Sinopse: documentário contando a história do único jornal do país produzido inteiramente por pessoas que moram em situação de rua.

Filme: “Eu existo” – Realização: Ana Carolina Capozzi, Júlia Cruz, Olívia Almgren, São Paulo/SP (2012 ), 17min

Sinopse: Documentário “Eu Existo”, produzido pelo Centro Acadêmico XI de Agosto sobre a questão dos direitos humanos para a população em situação de rua no centro de São Paulo.

Espetáculo: “Circo da Miséria”, de Jeff Vasques

Sinopse: Magrólhos arma do lixo a lona preta de seu circo, convidando o público passante para o maior desespetáculo da Terra!

Lançamento de Livro Infantil: “Psiu! uma estória infantil para adultos ou uma história já madura para crianças” de Jeff Vasques, ilustrações de Letícia Graciano.

Sinopse: Entre um conto de fadas e um conto de fatos, a estória de Psiu, um velhinho que “vivia andando” pelas ruas, ou melhor, “andava vivendo”.

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS)Rua Regente Feijó, 859 Centro – Campinas/SP

04 de Outubro de 2015

16h às 19h

Atividade: Sessão Mostra Luta 3 – Exibição de Filmes + Debate

Filmes da Sessão: Macuco: Um bairro operário e Quem tem juízo resiste e luta.

Filme: “Macuco: Um bairro operário” – Realização: Ailton Martins, Santos/SP (2014), 47 min

Sinopse: Em meados do ano de 2013, moradores do bairro Estuário em Santos tiveram a informação por meio da televisão de que seria construído um túnel submerso para interligar as cidades de Santos e de Guarujá. Para efetivação da obra, em torno de mil famílias seriam desapropriadas. A notícia caiu como bomba no bairro e acabou impulsionando a população a se organizar – debates e manifestações foram travados entre o poder público e a comunidade.

Filme: “Quem tem juízo resiste e luta” – Realização: Marcos Ribeiro Mesquita, Maceió/AL (2015), 24 min

Sinopse: O filme acompanha a trajetória de resistência e luta dos moradores da Vila de Pescadores do Jaraguá em Maceió (AL) por moradia e urbanização da área em que habitam há 60 anos. Registra também o cotidiano, o trabalho, sua cultura e o dia em que foi expulsa de seu território por determinação da justiça.

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) –  Rua Regente Feijó, 859 – Centro Campinas/SP

19h às 22h

Atividade: Sessão Mostra Luta 4 – Exibição de Filmes + Debate

Filmes da Sessão: O Muro é o Meio, O lado de Cima da Cabeça, Óna, A Notícia Por Quem Vive, Bem Vindo a Juazeiro do Norte, Artigo II

Filme: “O muro é o meio” – Realização: Eudaldo Monção Jr., Aracaju/SE (2014), 15 min

Sinopse: O documentário aborda as pichações de protesto gravadas nos muros da Universidade Federal de Sergipe. São gritos de revolta pela falta de segurança no campus, estrutura e qualidade de ensino. As pichações são mostradas como formas de indignação, reivindicação e também de comunicação contra a apatia das paredes brancas que abafam os conflitos socioculturais.

Filme: “O lado de cima da cabeça” – Realização: Naira Soares, Ilhéus/BA (2014), 14 min

Sinopse: Esse documentário tem o intuito de questionar os padrões de beleza estabelecidos pela sociedade, a identidade negra e o racismo através do cabelo.

Filme: “Óna” – Realização: Coletivo Criativo de Rua, Rio de janeiro/RJ (2015), 5 min

Sinopse: Um poeta realiza uma oferenda a Exu, mensageiro entre Orún e Aye, afim de libertar os caminhos da sua raça que até hoje sofre com um preconceito cultural e estético.

Filme: “A notícia por quem vive” – Realização: Thiago Dantas, Yuri Samico, Pedro Nóbrega Brasil, Rio de Janeiro/RJ (2013), 5 min

Sinopse: Este curta documentário, usado numa campanha de crowdfunding para financiamento do jornal “A notícia por quem vive”, busca encadear de forma lúdica as histórias dos moradores, dos jornalistas envolvidos na produção do veículo e da própria comunidade, retratando os infortúnios, os desafios e as alegrias de se viver e fazer notícia na Cidade de Deus.

Filme: Bem-vindo a Juazeiro do Norte – Realização: Ythallo Rodrigues Brasil, Juazeiro do Norte/CE (2015), 20 min

Sinopse: Bem-vindo a Juazeiro, sinta-se em casa! Veja-me até onde a vista alcançar… agradeço a sua visita!

Filme: Art. II (Artigo II, o Filme) – Realização: Centro de Mídia Independente, Rio de Janeiro/RJ (2014), 4 min

Sinopse: O curta mostra o Artigo II da DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS sendo “atacado” pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias.

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) – Rua Regente Feijó, 859 Centro – Campinas/SP

05 de Outubro de 2015

19h às 22h

Atividade: Abertura das Exposições Mostra Luta + Debate com convidados

Exposições: Desenhos Censurados pela Ditadura, de Nani + Charges de Sindicato, de Bira Dantas + Fotografias Mostra Luta! do Brasil, de varios fotógrafos

Sinopse Exposição Nani: DITADURA NÃO PRESTA. CENSURA NÃO PRESTA. Nani. A minha geração de cartunistas nasceu nos anos 1960 no tempo da Ditadura. Começamos a exercitar nossa profissão já sob o jugo da censura. Aprendemos a burlar a censura, a gente usava muitas metáforas para fazer os desenhos… Por exemplo, para caracterizar os porões da ditadura ou a tortura, a gente usava as figuras do carrasco, do bobo do Rei… O jogo era driblar a censura. Era charge de militância. A gente fazia charge para derrubar a ditadura.

Debate: Produção de Quadrinhos e Charges de Lutas na RMC – Quais os espaços de disputa: com Bira Dantas, Riba Ribeiro, Batata Sem Umbigo e Donizeti Marcolino.

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) – Rua Regente Feijó, 859 Centro – Campinas/SP

06 de Outubro de 2015

19h às 22h

Atividade: Sessão Mostra Luta 5 – Exibição de Filmes + Debate.

Filmes da sessão: “Moinho 14” e “Catracaço de Aniversário”

Debate: Comunicação Como Direito Humano – Chamada de Coletivos e Militâncias da Comunicação.

Detalhes:

Filme: “Moinho 14” – Realização: Movimento Moinho Vivo, Comboio e Fabcine, São Paulo/SP (2014), 41 min

Sinopse: Moinho 14 é uma paródia audiovisual do documentário carioca Rocinha 77, e traz um panorama atualizado da luta urbana travada pela última favela do centro de São Paulo com as forças político-econômicas.

Filme: “Catracaço de aniversário” – Realização: Centro de Mídia Independente, Rio de Janeiro/RJ (2014), 13 min

Sinopse: A semana do 26 de outubro é a semana nacional de lutas do Movimento Passe Livre desde 2005. No DF, o movimento participou da vitoriosa greve metroviária fazendo piquetes nas estações de metrô. 25 de outubro, no aniversário do MPL-DF. Um catracaço foi o presente do MPL-DF aos usuários do metrô de Brasília.

Local: Casa de Cultura Tainã – Rua Inhambu, 645 – Vila Padre Manoel da Nóbrega, Campinas/SP.

07 de Outubro de 2015

15h às 17:30h

Atividade: Espetáculo de Palhaço + Lançamento de Livro

Espetáculo: “Circo da Miséria”, de Jeff Vasques

Sinopse: Magrólhos arma do lixo a lona preta de seu circo, convidando o público passante para o maior desespetáculo da Terra!

Lançamento de Livro Infantil: “Psiu! uma estória infantil para adultos ou uma história já madura para crianças” de Jeff Vasques, ilustrações de Letícia Graciano.

Sinopse: Entre um conto de fadas e um conto de fatos, a estória de Psiu, um velhinho que “vivia andando” pelas ruas, ou melhor, “andava vivendo”.

Local: Centro Pop – Rua José Paulino, 603 – Centro – Campinas/SP

19h às 22h

Atividade: Sessão Mostra Luta 6 – Exibição de Filmes + Debate

Filmes da sessão: Makking Off Final, Notícia Mal Contada, Sonhos de Um Amanhã, Só Rochas Para Nós: Internos do sistema sócioeducativo contam sua história, Especialistas discutem seletividade do sistema socioeducativo e PEC 171, Entrevista: Movimento estudantil mexicano se reorganiza após o massacre de Ayotzinapa.

Debate: Produção Audiovisual nas Periferias – Apropriação Tecnológica e Disputa Política pela Juventude.

Detalhes:

Filme: “Notícia mal contada” – Realização: Cinema de Guerrilha e Movimento do Vídeo Popular, Águas Lindas de Goiás/GO (2015), 18 min –

Sinopse: Vídeo-documentário produzido na Oficina de Imagem Popular de Águas Lindas de Goiás, questiona a visão oficinal da mídia sobre Águas Lindas, divulgada como uma das cidades mais violentas do mundo. Quais os efeitos dessa visão sobre a população? Quem pode e o que pode falar sobre a quebrada?

Filme: “Sonho de um amanhã” – Realização: Cinema de Guerrilha e Movimento do Vídeo Popular, Águas Lindas de Goiás/GO (2015), 24 min

Sinopse: Vídeo realizado na Oficina de Imagem Popular de Águas Lindas, GO, é baseado no livro Amanhecer Esmeralda, de Férrez e aborda o racismo e o abandono na vida de uma menina negra que se torna inspiração para uma mudança maior.

Filme: Makking Off Final – Realização: Cinema de Guerrilha e Movimento do Vídeo Popular, Águas Lindas de Goiás/GO (2015), 18 min

Sinopse: Relato em vídeo sobre a Oficina de Imagem Popular: processo coletivo eautônomo de transformação social.

Filme: “Só rocha pra nós: Internos do sistema sócioeducativo contam sua história” – Realização: Coletivo Maruim, Florianópolis/SC (2015), 13 min

Sinopse: O filme narra histórias de adolescentes que cumprem penas socioeducativas, trazendo também relatos de de profissionais que trabalham com esses jovens.

Filme: “Especialistas discutem seletividade do sistema socioeducativo e PEC 171” –

Realização: Coletivo Maruim, Florianópolis/SC (2015), 10 min

Sinopse: O filme mostra pontos de vista de dois especialistas: Nayara Aline Schmitt Azevedo, assessora da Vara da Infância e da Juventude, e Luciano Goes, advogado criminal a respeito da PEC 171. Abordam o ECA, a seletividade dos sistemas penal e socioeducativo, a atuação da polícia, o racismo estrutural e a privatização dos presídios.

Filme: “Entrevista: Movimento estudantil mexicano se reorganiza após o massacre de Ayotzinapa” – Realização: Coletivo Maruim, Florianópolis/SC (2015), 8 min

Sinopse: O filme discute políticas neoliberais, ações violentas do Estado contra os movimentos sociais e negligência em relação às escolas normais rurais. Contextualiza o massacre de Ayotzinapa, em setembro de 2014, quando sete pessoas morreram, 42 desapareceram e 29 ficaram feridas após ataque contra alunos da Escola Normal Rural Raúl Isidro Burgos, no estado mais pobre do México.

Local: Praça da Catedral de Campinas – Rua: 13 de Maio, s/n – Centro – Campinas/SP

08 de Outubro de 2015

19h às 22h

Atividade: Debate

Debate: MIS 40 Anos – Museologia Social: Interação Social no Museu

Local: Museu da IMagem e do Som de Campinas (MIS), Sala Glauber Rocha – Rua Regente Feijó, 859 – Centro – Campinas/SP.

09 de Outubro de 2015

19h às 22h

Atividade: Sessão Mostra Luta 7 – Exibição de Filme + Debate

Filme: “Osvaldão” – Realização: Ana Petta, André Michiles e Fábio Bardella/ Fundação Maurício Grabóis, São Paulo/SP (2015), 75 min.

Sinopse: Osvaldão é um filme que narra a história de Osvaldo Orlando da Costa, importante líder negro da Guerrilha do Araguaia. Osvaldão, como era conhecido devido seu tamanho e sua força, foi brutalmente assassinado pela ditadura militar e a família nunca pode velar seu corpo. Os brasileiros não conheceram sua história na luta pela liberdade. Nesses cinquenta anos de “descomemoração” do golpe, lançamos os questionamentos: onde estão seus restos mortais, ocultados pelo exército brasileiro até hoje? Onde está Osvaldo nos livros didáticos e na história do país?

Debate: A ditadura civil-militar no Brasil e a luta para contar a nossa história

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) – Rua Regente Feijó, 859 – Centro Campinas/SP.

10 de Outubro de 2015

10h30 às 13h

Atividade: Espetáculo de Palhaço + Lançamento de Livro

Espetáculo: “Circo da Miséria”, de Jeff Vasques

Sinopse: Magrólhos arma do lixo a lona preta de seu circo, convidando o público passante para o maior desespetáculo da Terra!

Lançamento de Livro Infantil: “Psiu! uma estória infantil para adultos ou uma história já madura para crianças” de Jeff Vasques, ilustrações de Letícia Graciano.

Sinopse: Entre um conto de fadas e um conto de fatos, a estória de Psiu, um velhinho que “vivia andando” pelas ruas, ou melhor, “andava vivendo”.

Local: Praça da Catedral de Campinas – Rua: 13 de Maio, s/n – Centro – Campinas/SP

14h às 18h

Atividade: Oficina de Dança + Apresentação do espetáculo “Y KHYSSA”, do Núcleo Pélagos de Dança de Campo Limpo, São Paulo/SP

Sinopse: Y-KHYSSA é um espetáculo de dança contemporânea e significa “O que é meu”, no dialeto Yathê da tribo indígena Funiô de Pernambuco. Esse tema foi o grande norteador da pesquisa sobre apropriação e pertencimento. “O que é meu? Minhas crenças? Minhas tradições? Meu cheiro? Minha cor? Meu canto? Minha casa? O que me constitui?

18h às 22h

Atividade: Projeções Livres + Debate + Apresentações Artísticas de Mc’s da Quebrada e de grupos de dança hip hop de Campinas + oficinas.

Local: Praça Pública entre os bairros de Parque Oziel, Monte Cristo e Gleba B – Campinas/SP – Rua Tenente Neviton Garuti S/N

11 de Outubro de 2015 – Encerramento

14h às 16h

Atividade: Roda de Conversas: “Tensionamentos entre o espaço  privado e público” com Thiago Bortolozzo.

Sinopse: Apresenta projeto fotográfico gerador de uma intervenção artística com fotografias que narram fatos históricos do “1º Maio” dia do trabalhador em Berlim. O debate propõe gerar reflexões sobre os poderes das instituições e seus discursos, ampliando a discussão sobre a ocupação de espaços públicos e privados nas cidades.

16h às 19h

Atividade: Sessão Mostra Luta 8 – Exibição de Filme + Debate

Filme: “Branco Sai, Preto Fica” – Realização Adirley Queirós, Ceilándia/DF (2015), 93 min

Sinopse: Tiros em um baile de black music na periferia de Brasília ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.

Debate: Racismo Institucional e Genocídio da Juventude Negra

19h às 22h

Festa de encerramento

Apresentações: Banda Nego Mantra + Banda Choque Vermelho + Lançamento de Livro de André Nogueira + Performance de Letícia Conde (São Carlos) + Projeções Livres

Detalhes:

Lançamento de Livro: Manifesto Lenitivo, de André Nogueira

Sinopse: Tenho-lhes a Dar Umas Palavras indigestas, eu sei, mas precisamos conversasr num mesmo nível e é para coçarmos nossas calvas daqui a cem anos que hoje proclamo este manifesto lenitivo. Vocês querem, pois, um livro? Sempre, quando abro uma gaveta de achados e perdidos, entre tocos de lápis grampos de cabelo gordurentos e chaveiros com escudos futebolísticos, encontro uma (ou duas) amostra grátis do Novo Testamento e às vezes uma brochura, num capricho de papel magenta, do Manifesto Comunista.

Performance: Tele-visão, de Letícia Conde (São Carlos)

Sinopse: Poluição. Nossa visão teleguiada. Machismo, posse, estupro, submissão,

territorialismo. Feminicídio, aborto, chacina, genocídio. Racismo, morte em massa. Sangue todo dia sete dias na semana. Ao vivo. Com carnaval e mula tá dançando samba. Duração: de 30 a 40 minutos.

Show: Banda Nego Mantra

Sinopse: Thiago Carvalho, Léo Lopes, Gustavo Sales, Willian Carraro – Banda Alternativa Afro-rock

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) – Rua Regente Feijó, 859 – Centro Campinas/SP.

Tags:

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*